Pimpex chega a Nova Iorque!

Com orgulho anunciamos que vai ter Pimpex em Nova Iorque. A campanha vai contemplar 03 catadores de uma só vez e foi articulada pela Silvia Xavier, que está nos Estados Unidos como bolsista do Ciências Sem Fronteiras terminando o mestrado em Design e Ecologias Urbanas na universidade Parsons School of Design. O foco da sua pesquisa é o estudo da dinâmica dos resíduos sólidos nos centros urbanos e das pessoas que trabalham com os materiais descartados no seu dia a dia.

Em NY, os Canners, como são chamados, coletam diversas embalagens de bebidas (latinhas, garrafas de plástico ou vidro) e trocam o material por 5 centavos de dólar cada – um sistema autorizado por uma lei que existe para todo o estado de Nova Iorque desde os anos 70, a Bottle Bill.  Assim como no Brasil, essa atividade de coleta seletiva autônoma realizada pelos catadores garante o trabalho e a sobrevivência de muitas pessoas que estão numa situação de exclusão financeira ou social.

No Brasil, eu já havia estudado sobre a importância do trabalho dos catadores, e fiquei surpresa de ver que em Nova Iorque a situação é semelhante”, conta Silvia.

Em Nova Iorque há alguns fatores que estão colocando os canners em uma situação ainda mais vulnerável. A parceria da prefeitura com uma empresa privada gera uma pressão para que a coleta seletiva seja rentável, e cria a ideia de que os canners estão retirando materiais de alto valor que deveriam ser recolhidos pela empresa. Além disso o trabalho dos canners não é reconhecido por lei e os projetos de mudança na coleta da prefeitura não levam em consideração esses trabalhadores. O futuro da atividade dos canners é incerto.

A ideia de fazer o Pimpex NY é justamente para promover reconhecimento e valorização dos canners por aqui!. Essa é uma ação concreta que podemos realizar para criar melhores condições de trabalhos e valorizar os catadores daqui, fortalecendo a relações entre eles e os moradores. A ideia é também abrir esse espaço para promover a discussão sobre a importância do reconhecimento dos canners como profissionais autônomos, que devem ser considerados parte do sistema de coleta seletiva da cidade e devem estar incluídos nos projetos futuros desse sistema”, completa Silvia.

Silvia Xavier já tinha ouvido falar do Pimp My Carroça, mas foi em julho de 2015, quando conheceu o artivista Mundano, que fortaleceu a parceria e a ideia de realizar o 1º Pimpex dos Estados Unidos.

Na época, o Mundano esteve no país para um apresentar o movimento em eventos da BrazilFoundation e chegou a pintar uma carroça.

O Pimpex em Nova Iorque conta com a parceria da Sure We Can!

Confira aqui a campanha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *